Arquivo | Teatro RSS feed for this section

Entrevista sobre espetáculo “Quando Fecho os Olhos”

27 jun

Realizada após a apresentação do espetáculo “Quando Fecho os Olhos”, do Macondo Coletivo, no Festival Fora do Eixo SP – Etapa Palco, a entrevista conta um pouco sobre a peça de artes integradas e a representatividade de trazê-la à São Paulo. Confira:

Anúncios

Como foi o último dia do Festival FdE SP – Etapa Palco

27 jun

Domingo, dia frio e chuvoso em São Paulo. Mesmo assim, rola um churrascão na Casa Fora do Eixo. No cardápio de atrações, várias bandas, #CompactoARTE, projeções e uma novidade: programação de artes cênicas na sala da frente da casa! Essa edição do #DomingonaCasa foi especia com a realização do Cabaré Fora do Eixo, com a participação de artistas do Palco Fora do Eixo. Entre uma banda, as apresentações alternavam entre circo, teatro e dança.

Com a movimentação de vários artistas para compor a programação do dia, tivemos uma mistura de teatro, circo, dança, música e artes visuais. Uma das atividades que rolou hoje, desde o começo da tarde, foi a sétima edição do #CompactoARTE na @casaforadoeixo. Já a primeira banda que entrou foi Juca Culatra e o Power Trio, com o som auto astral total. Na sequência, os cuiabanos da Rhox já avisaram o público que o dia iria ter uma proposta de andar pela casa.

A primeira atração cênica da tarde foi apresentada pela palhaça Furabolo, que chegou chegando. Olhou para o publico e mandou ver. Estava muito feliz, mas foi surpreendida pela triste notícia de que foi deixada pelo seu amor…ser arrasada por um bilhete que, displicentemente, a informava do término de seu relacionamento. Oh, que pena! Mas, a vida continua… ela dá a volta por cima e encerra a cena com uma super coreografia de dança do ventre!

Enquanto o show Paraense, da Gangue do Eletro, começava lá no Pub, o grupo Santa Víscera se preparava para apresentar seu carro chefe: Teatro a La Carte! Que cena você gostaria de assistir? O projeto coloca pequenos trechos de peças dramatúrgicas conhecidas em um verdadeiro Menu, e o espectador escolhe o que vai assistir. Como o tempo para a atividade devia ser dividido com as outras atrações do domingo, o Santa Víscera selecionou quatro cenas para apresentar ao público da casa, dando um gostinho de quero mais ao Teatro a la Carte!

Logo depois do NPT Santa Víscera, voltamos ao Pub com shows de La Madre Del Borrego(ARG), Iara Rennó, Linha Dura, Gabi Amaranthos e Dj Waldo Squash sem serem anunciadas ou inicialmente percebidas, três garotas começaram a bailar, cada qual à sua maneira, no meio do público presente.

Eram as meninas da Cia. Caipira, de Araraquara, em sua “versão metropolitana”, como disse Moema Guimarães, a diretora do grupo, realizando a performance-intervenção “Estudo para dia sem sapatilha” na programação do Cabaré Fora do Eixo. As intérpretes surgiram aos poucos portando fones de ouvido e mochilas nas costas. O público começou a se aperceber quando os movimentos se tornaram maiores, expansivos, e quando notaram que não era apenas uma menina maluca dançando fora do ritmo do som que rolava nas caixas da festa, e sim três.

Quando os espectadores se deram conta de que poderia ser algo combinado entre elas, abriram espaço para as moças, ao passo que elas iam escolhendo algumas pessoas, ofereciam-lhes os fones de ouvido e dançavam, exclusivamente, ao ritmo da música que só aquele escolhido podia escutar.

A apresentação ia se desenrolando em meio a comentários do público, que diziam “Nossa, eu acho que elas combinaram né?! Elas devem ser dançarinas…” ; “Muito legal! Só ouvindo o MP3 e com a mochilinha nas costas, fazendo todas essas coisas doidas.”, e assim por diante. Até que a galera se entrosou e entrou no ritmo, com ou sem os foninhos no ouvido, pra fazer o que tinha vontade.

Um dia digno de encerramento de festival. Depois de três dias de #FestivalFdE, um encerramento planejado para amarrar a programação num diálogo forte de integração das artes. Apesar da chuva e do dia frio, o #DomingonaCasa proporcionou muita coisa boa, animação e cultura ocupando diferentes espaços e dialogando com diferentes públicos e linguagens.

Como foi: 2° dia do Festival FdE SP – Etapa Palco

25 jun

O segundo dia começou cedo. Às 9h da manhã começou a oficina de Gestão em projetos cênicos ministrada pela @anapgal na @casaforadoeixo. A oficina durou quatro horas e trabalho com uma apresentação de cada peça, agente e célula da cadeia produtiva das artes cências. A oficina terá continuação amanhã com enfoque na área de planejamento. Para Laura Faleiros, produtora do recém-formado Coletivo Bravos, do Rio de Janeiro, “a oficina foi bem interessante para começar a ter um Norte nessa nova caminhada em que os artistas do circo carioca começaram a se envolver no começo desse ano.

Na parte da tarde o @coletivoce aproveitou para se familiarizar com o local e climatizar o ambiente de trabalho da casa de vivências do FdE com um ensaio aberto do espetáculo #Desterro que acontece amanhã à noite. No fim da tarde a oficina de @arturfaleiros aconteceu no pátio da casa, uma troca direta com dois jovens moradores do bairro e que estão ingressando no trabalho com artes cênicas e mímica.

À noite aconteceu a primeira atividade cultural de fato do #FestivalFdE. O NPC recebeu, de casa cheia, o espetáculo “Quando Fecho os Olhos” do Macondo Coletivo com uma apresentação que integrou as artes cênicas à musica e ás projeções audiovisuais.

Foi a primeira vez, no @ForadoEixo, que mobilizamos a integração das artes numa via oposta do que estavamos acostumados. Geralmente as performances integram a programação musical para galgar espaço no desenvolvimento dessa campanha de integração das artes. Desta vez, a banda Rinoceronte se deslocou para acompanhar o projeto cênico da Cia Teatro de Bolso que trouxe o espetáculo para sensibilizar e mostrar para a rede um novo formato de produção que integra linguagens não só num festival mas num único “produto” cultural.

Para Lenissa Lenza, uma das produtoras do festival o espetáculo aparece “ Com uma caracteristica intimista e abstrata em que a peça permite que cada um tenha sensações próprias, o que gera uma troca de interpretações e envolvimento bem interessante. Além disso, os atores demonstram muita firmeza na atuação convencendo o público presente”.

Depois do espetáculo viemos todos para a #Casadas3 encerrar a programação do dia com a #SaideraCultural ao som da DJ @driadeaguiar com uma discotecagem leve e pop num ambiente aconchegante e propício para conversa, animação, cerveja e quentão. Escrevendo ao som de Franz Ferdinand, com licença, acabou meu copo. Amanhã tem mais, acompanhe tudo pelo site do festival.

Artur Faleiros
Comunicação Palco FdE.

Fotos: 2° dia do Festival FdE SP – Etapa Palco

24 jun

Durante o 2° dia de Festival Fora do Eixo SP – Etapa Palco, foram realizadas as seguintes atividades: Oficina de Gestão com Ana Paula Galvão, Oficina de Malabares com Artur Faleiros, Ensaio do Coletivoce, Peça de Teatro “Quando Fecho os Olhos, do Macondo Coletivo e Saidera Cultural na Casa das 3. Veja todas as fotos aqui!

Hoje tem espetáculo “Quando Fecho os Olhos” no Festival FdE SP!

24 jun

Olhar para si mesmo, pelos seus medos e suas angústias. O Macondo Coletivo traz ao Festival Fora do Eixo SP – Etapa Palco, o espetáculo de artes integradas “Quando Fecho os Olhos”, um projeto que desafia espaços alternativos e está em constante processo de adaptação. A apresentação será no dia 24 de junho, a partir das 20h30, no NPC Artes.

Serviço
Quando Fecho os Olhos
Data: 24/06/2011
Horário: 20h30
Local: NPC Artes – Av Lins de Vasconcelos, 875, Aclimação

Coletivo CÊ apresenta espetáculo Desterro no Festival FdE SP

22 jun

Vem aí: #FestivalFdE SP!

16 jun